Fibra

Início > Opinião > O futuro das TI em Portugal

O futuro das TI em Portugal

terça, 13 agosto 2013 10:09   Fernando Amaral, managing partner da Sendys Portugal

O futuro das TI em Portugal"Num período de crise, em que é necessário arriscar e muitas organizações têm de reinventar-se, as Tecnologias de Informação revelam-se a aposta de uma larga maioria, como fator de alavancagem e redefinição das estratégias empresariais", escreve o managing partner da Sendys Portugal, Fernando Amaral, num artigo para o Fibra.

"O setor das Tecnologias de Informação (TI) em Portugal, paralelamente a outros setores do nosso país, sente as consequências de uma difícil conjuntura económica, apresentando quebras. Trata-se de uma gigante bola de neve que desincentiva o investimento das empresas e, consequentemente, retrai o consumo. O setor das TI não é exceção a esta grande regra, no entanto, o investimento neste setor tem sido retomado nos últimos tempos.

Ano após ano, prevê-se uma maior recuperação e crescimento do setor, sobretudo devido ao facto de Portugal ser um dos países onde se regista maior investimento económico na área, graças à forte aposta tecnológica da grande maioria das empresas portuguesas.

Num período de crise, em que é necessário arriscar e muitas organizações têm de reinventar-se, as Tecnologias de Informação revelam-se a aposta de uma larga maioria, como fator de alavancagem e redefinição das estratégias empresariais. A aposta na tecnologia assenta no novo modelo de virtualização dos sistemas de informação, através de data centers e cloud computing, que permitem uma maior eficiência na gestão e maior racionalização dos recursos utilizados.

No futuro do universo das TI fala-se em Big Data, isto é, grande armazenamento de dados e maior velocidade, o conceito de Big Data baseia-se nos cinco V: velocidade, volume, variedade, veracidade e valor. O cloud computing, por exemplo, também continuará a crescer durante os próximos anos. Sabemos que a maioria das empresas colabora com clientes externos e parceiros através de vários dispositivos. Aliada a esta tendência, dá-se o aumento da exploração das tecnologias através de diversos sensores e dispositivos móveis e mais modernos, ou seja, é a internet em qualquer lugar, através de qualquer dispositivo, que permite, através da incorporação de sistemas inteligentes, comandar um vasto conjunto de ações à distância.

Outra prática cada vez mais comum, que as empresas têm vindo a adaptar, é o desenvolvimento de conteúdos para plataformas móveis e sociais, de forma a desenvolver comunicações e interações mais abrangentes, sendo que a utilização deste meio já faz parte da estratégia de muitas empresas. Paralelamente, o acesso à internet através de dispositivos móveis continua a aumentar vertiginosamente, prevendo-se que, segundo uma pesquisa do relatório Gartner, até 2014 haverá uma taxa de acesso a partir de dispositivos móveis de 90% e 6.5 mil milhões de ligações móveis. Ainda de acordo com este relatório, o número de acessos à internet via smartphone será superior do que o número de acessos através do computador portátil.

Ainda outra das tendências que se destaca entre as mais comuns práticas em TI é a redução do consumo energético. A tentativa das reduções do consumo e das emissões de gases é uma preocupação constante em prol da aquisição dos rótulos ecológicos, os chamados eco-labels que 'colaboram' com o meio ambiente. Outros incentivos para esta tendência são também as pressões económicas, políticas e sociais que obrigam as empresas a demonstrar responsabilidade pelas emissões de dióxido de carbono, ou seja, a redução da pegada ecológica.

Prevê-se que estas sejam parte das tendências deste ano até, pelo menos, meados de 2015".

Fernando Amaral
Managing partner da Sendys Portugal

Fonte: Fibra

Briefing advocatus fibra Welcome store


Considerações Legais     © 2015 fibra     Ficha Técnica      Estatuo Editorial