Imprimir esta página

Os 10 anos que mudaram a forma como vemos televisão

segunda, 10 dezembro 2012 15:49   Nuno Bernardo, Director-geral da beActive

Os 10 anos que mudaram a forma como vemos televisãoO beActive TV é uma aplicação disponível para smartphone, tablet e connected TV que permite aos espectadores assistir aos conteúdos produzidos e distribuídos pela empresa em qualquer lugar e em qualquer dispositivo, criando uma experiência personalizada de entretenimento, escreve Nuno Bernardo, diretor-geral da beActive e produtor de cinema, TV e conteúdos digitais.


Em Dezembro de 2002, a beActive estava a ultimar os preparativos do lançamento da primeira série interativa pensada exclusivamente para ser distribuída em múltiplas plataformas, o Diário de Sofia. Recorde-se que estamos a falar de um ano em que a banda larga dava os primeiros passos na Europa, os telemóveis não eram smart, o oferta de TV por cabo era limitada a algumas dezenas de canais, as redes sociais eram um conceito de ficção científica e Mark Zuckerberg era um adolescente borbulhento ainda no liceu. No entanto, cedo percebemos que as preferências dos espectadores e consumidores estavam a mudar tal como a forma de aceder a conteúdos de informação e entretenimento.

O Diário de Sofia, lançado em Janeiro de 2003 pela beActive em parceria com a Optimus, o Clix e a Revista Ragazza, contava o dia-a-dia ficcionado de uma adolescente através de blogs, fotos, vídeos, mensagens SMS e fotonovela impressa mensalmente na revista do grupo Hachette. A receptividade da história, e em especial da sua inovadora forma de distribuição, cativou desde cedo o seu público alvo. Em pouco meses, o Diário de Sofia transformou-se num programa de sucesso na RTP, numa coleção de livros (meio milhão de exemplares vendidos) e programas de rádio na Antena 3 e CidadeFM. Alguns anos mais tarde, o conceito viria a ser comprado pela Sony Pictures Television e adaptado em 10 países (sendo o primeiro formato televisivo criado em Portugal a ser exportado).

Dez anos depois, os hábitos dos consumidores mudaram radicalmente, não só dos adolescentes, mas de uma grande parte da população. As redes sociais, os serviços de gravação digital, o Replay TV (acesso aos programas emitidos nos últimos 7 dias), o vídeo a pedido, não só na aparelho de Televisão, mas nos telemóveis, tablets e computadores são cada vez mais populares. Vivemos uma nova era da experiência televisiva. Cada vez esta atividade é menos linear, mas mais a pedido e multiplataforma. Programas de TV, filmes, informação são consumidos em dezenas de plataformas e dispositivos, normalmente, de uma forma assíncrona. Cada espectador cria a sua própria experiência de televisão personalizada.

A pensar nesta mudança de paradigma e naquilo que será a evolução dos espectadores ao longo da próxima década, a beActive lançou recentemente a sua aplicação beActive TV, uma aplicação disponível para smartphone, tablet e connected TV que permite aos espectadores assistir aos conteúdos produzidos e distribuídos pela empresa em qualquer lugar e em qualquer dispositivo, criando uma experiência personalizada de entretenimento. Já não faz sentido criar o seu próprio canal de TV tradicional numa lógica linear e local, mas sim desenvolver toda uma experiência interativa e a pedido pensada para o mercado global. O espectador pode seguir as suas séries favoritas, aceder a conteúdos extra, ser alertado quando novos episódios estão disponíveis e ter uma experiência realmente multiplataforma: pode começar a ver um episódio no seu smartphone (por exemplo na viagem do metro), fazer uma pausa e terminar a visualização do episódio na sua Televisão. 

O desenvolvimento do beActive TV está inserido num processo de certificação em Investigação, Desenvolvimento e Inovação atribuído pelo IPAC, que torna esta produtora na primeira empresa mundial a obter este certificado associado ao desenvolvimento de conteúdos Transmedia, comprovado pela sua constante presença nas publicações e eventos internacionais do sector.

Nuno Bernardo
Director-geral da beActive e Produtor de Cinema, TV e Conteúdos Digitais

Itens relacionados