Fibra

Início > Opinião > Tablets e smartphones disputam consumo de TV

Tablets e smartphones disputam consumo de TV

terça, 13 dezembro 2011 13:17   Omnicom Media Group

Televiso_PrivadaOs resultados de um novo estudo TNS, publicado pela AdAge no início do mês, avança com dados relevantes sobre os hábitos de mobile media de 5 mil europeus do Reino Unido, França, Espanha e Polónia, concluindo que a utilização de tablets canibaliza o consumo de TV e potencia o comércio online móvel.

 

No Reino Unido, 35 por cento dos utilizadores de tablets vêem regularmente on-demand content, 45 por cento vêem streamed content e 39 por cento vêem TV no seu tablet.

Por outro lado, smartphones tendem a complementar o consumo de TV em vez de substituí-lo. Esta realidade é particularmente verdade em França onde 19 por cento dos utilizadores referem que vêem mais TV em resultado da utilização dos seus smartphones, cujo impacto é também significativo no consumo de outros media digitais como ler mais jornais online.

O estudo mostra ainda diferenças no comportamento entre utilizadores de telemóvel e tablets. Smartphones são usados para “matar o tempo” quando não existe mais acesso a outros écrans enquanto os tablets são usados para “poupar tempo” porque são percepcionados como mais eficientes.

Os fans de tablets têm cerca de 50 por cento maior probabilidade de fazer uma compra que os utilizadores de smartphones. Nos países analisados, 60 por cento dos indivíduos que têm tablets fizeram pelo menos uma transacção comercial móvel (versus 47 por cento dos “smartphones users”). Enquanto o uso das aplicações vai crescendo, o “browser” é, sem dúvida, o principal forma para aceder ao conteúdo online através de telemóveis ou tablets.

A informação recolhida traduz a nossa própria experiência: cada vez mais os consumidores interagem com as marcas através de plataformas móveis. Os marketers perderão oportunidades de relacionar-se com os seus potenciais clientes se não adaptarem a sua comunicação (em forma e conteúdo) aos telemóveis e tablets.

Fonte: Omnicom Media Group

Briefing advocatus fibra Welcome store


Considerações Legais     © 2015 fibra     Ficha Técnica      Estatuo Editorial