Fibra

Início > Lusa > Telecom: Decisão da PT em pagar dividendos da venda da Vivo "vai avançar" - Ricardo Salgado

Telecom: Decisão da PT em pagar dividendos da venda da Vivo "vai avançar" - Ricardo Salgado

segunda, 15 novembro 2010 17:39
Lisboa, 15 nov (Lusa) – O presidente do BES, Ricardo Salgado, afirmou hoje que a decisão da administração da PT de pagar dividendos já este ano devido à venda da Vivo “vai avançar” e que não admite outra hipótese, senão seria “muito mau”.
“Não, não admito essa hipótese, já foi aprovada em conselho (de administração). Vai avançar”, respondeu Ricardo Salgado quando questionado pelos jornalistas sobre a possibilidade de a administração da PT voltar atrás nesta decisão, após as críticas do ministro das Finanças.

O presidente do BES, que falava à saída da 6ª conferência anual da Ordem dos Economistas, em Lisboa, no âmbito da proposta de Orçamento do Estado para 2011, disse mesmo que “seria muito mau ” para os mercados se este pagamento não avançasse.

“Deve avançar, porque senão avançar é muito mau para os mercados internacionais. Os tais mercados internacionais que, para criarem confiança para Portugal, não podem ficar sujeitos a alterações à última da hora por mudanças legislativas ou fiscais”, afirmou.

Também sobre este assunto, o ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações disse hoje, no Parlamento, que o Governo não teve responsabilidade na decisão do conselho de administração da PT em propor o pagamento um dividendo extraordinário.

O ministro, que respondia ao deputado do PCP Bruno Dias, explicou que a proposta de atribuição de um dividendo excecional é uma matéria discutida pelo conselho de administração da PT, no qual o Estado não tem representação.

A PT anunciou este mês que o conselho de administração aprovou a intenção de submeter, na próxima assembleia geral, “uma proposta de política de remuneração acionista consistente com o perfil financeiro da empresa”, no seguimento da alienação da sua participação na Vivo e em antecipação ao investimento na Oi.

A proposta prevê um dividendo excecional de 1,65 euros por ação, do qual 1,00 euro por ação será pago em dezembro de 2010, como adiantamento dos lucros deste ano - o que terá de ser aprovado numa reunião específica do conselho de administração -, e 0,65 euros por ação serão pagos em maio de 2011 - estes sujeitos à aprovação da assembleia geral de acionistas.

No mesmo dia em que a decisão foi anunciada, em entrevista à agência Lusa, o ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, afirmou que se a PT pagar o dividendo extraordinário ainda em 2010 passará a ideia "de que pretende assim fugir ao pagamento de impostos em 2011", o que lhe causaria danos na reputação.

NM/CSJ.

***Este texto foi escrito ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico***

Lusa/fim
Briefing advocatus fibra Welcome store


Considerações Legais     © 2015 fibra     Ficha Técnica      Estatuo Editorial