Fibra

Início > Gadgets > Um robô que conversa com humanos? É o NAO da IBM

Um robô que conversa com humanos? É o NAO da IBM

quinta, 23 junho 2016 17:46

A IBM apresenta aos portugueses o NAO, um pequeno robô humanoide que incorpora as capacidades cognitivas do IBM Watson e, por isso, tem a capacidade de manter uma conversa em linguagem natural. Um sistema que aprende – e não esquece – cuja premissa é ajudar empresas e indústrias na tomada de decisões de negócio assertivas.

Recentemente a IBM juntou-se à cadeia de hotéis Hilton Worldwide para um projeto-piloto com o NAO que, neste caso em particular, recebeu o nome de Connie. O pequeno robô desempenha o papel de concierge, dando aos hóspedes recomendações sobre as atrações e locais turísticos mais próximos, restaurantes e características do hotel, respondendo às suas questões de forma amigável e informativa, trabalhando lado a lado com a equipa da receção do hotel, para ajudar a personalizar a experiência do cliente.

"O que irá diferenciar as organizações é conseguirem compreender, analisar e tirar partido dos dados que são gerados diariamente. E, seguramente, que as empresas que arrancarem à frente, recorrendo à computação cognitiva, terão uma vantagem competitiva muito relevante", defende António Raposo de Lima, presidente da IBM Portugal.

O IBM Watson lê e compreende em linguagem natural o significado e o contexto da informação para rapidamente encontrar informações relevantes, mesmo entre dados não estruturados. "Estas capacidades podem ser integradas em qualquer produto, serviço, processo ou sistema digital, o que significa que podemos adicionar a qualquer coisa digital algo de cognitivo, algo de pensante", sublinha o presidente da IBM Portugal.

"Neste mundo em que a computação cognitiva já é uma realidade, e que existe para nos ajudar, a pergunta a fazer é que preço estamos dispostos a pagar por não sabermos, por não conhecermos e não tirarmos informação válida da informação disponível em cada indústria. De não saber, por exemplo, o que está errado com o nosso paciente, de não saber o que os nossos clientes querem... E, por isso, é que é tão importante agir agora, neste momento", sustenta Michelle Unger, diretora-geral de Cognitive Solutions da IBM Europa.

Briefing advocatus fibra Welcome store


Considerações Legais     © 2015 fibra     Ficha Técnica      Estatuo Editorial