Fibra

Início > Internet > Manchester, a cidade mais vulnerável no online

Manchester, a cidade mais vulnerável no online

quinta, 01 março 2012 13:25

norton_by_symantecOs habitantes de Manchester, no Reino Unido, são os que correm maiores riscos no uso da internet, de entre todos os da Europa. A conclusão é do estudo “Riskiest Online Cities”, efetuado para a Norton. Nenhuma cidade portuguesa aparece no top 10 das mais vulneráveis ao malware.


O estudo, hoje divulgado em Lisboa no âmbito de uma conferência conjunta da Norton, da Symantec, e da Faculdade de Ciências, foi realizado tendo em conta que cada vez mais os indivíduos confiam na internet para se manterem atualizados, em contacto uns com os outros, para pagar contas, aceder a informação financeira, entre outras vantagens do online. Daí que seja vital – segundo a empresa de segurança informática – que se sintam confiantes e seguros.

Depois de Manchester, surge Amesterdão, a cidade europeia com maior penetração de computadores pessoais, um elevado nível de acesso à internet mas níveis moderados de cibercrime.

Estocolmo está em terceiro – é a cidade com maior uso da internet, dos smartphones e das redes sociais, mas níveis relativamente baixos de cibercrime. Segue-se Paris, com uma incidência elevada de tentativas de malware e spam de endereços IP, mas uma fraca penetração de smartphones.

Londres é quinta, com um nível médio de risco baseado no uso do computador e no acesso à internet. Já Dublin, em sexto, tem taxas relativamente baixas de utilização de smartphones, mas, em comparação, um risco médio de cibercrime mais elevado.

Milão é a sétima cidade no ranking, mas é a segunda nas tentativas de malware, apresentando ainda níveis elevados de spam de endereços IP. Tem, no entanto, uma baixa taxa de penetração de computadores.

Roma, Barcelona e Berlim encerram o top 10 das cidades que correm mais riscos na internet, segundo este estudo desenvolvido para a Norton pela Sperling’s BestPlaces e que cruzou dados de duas categorias: dados relacionados com o cibercrime e dados sobre consumo informático.

Fonte: Dadavox

Briefing advocatus fibra Welcome store


Considerações Legais     © 2015 fibra     Ficha Técnica      Estatuo Editorial